O que vem se configurando como uma tendência, e deve se ampliar cada vez mais, é a exigência que o passageiro apresente no check-in no aeroporto e na entrada do país um exame RT-PCR negativo para o coronavírus – condição já imposta pelos Emirados Árabes Unidos, o Equador e a Colômbia, por exemplo. A aérea Emirates, que voa para Dubai, passou a oferecer o teste gratuitamente (a companhia também pagará as despesas médicas e de quarentena de quem for diagnosticado com a Covid-19 durante a viagem).

A exigência de um exame RT-PCR negativo vale também para brasileiros que residem legalmente em algumas nações da União Europeia, como Portugal e França, e querem voltar para suas casas. Já outros países europeus que abriram parcialmente as fronteiras, caso da Alemanha e da Islândia, colocaram a apresentação do PCR como requisito de entrada. Veja as exigências de cada país da União Europeia neste site.

PCR e viagens no Brasil

Até mesmo em viagens dentro do Brasil o exame poderá ser exigido com mais frequência, principalmente em destinos que reúnam fragilidade no sistema de saúde e um jeito fácil de controlar o acesso de pessoas. O exemplo mais evidente é o de Fernando de Noronha, que desde julho exige o teste PCR, realizado até sete dias antes da chegada à ilha. No final de agosto, uma resolução do Governo de Pernambuco definiu que a ilha reabrirá ao turismo apenas para quem já teve a Covid-19 e mediante a apresentação de testes. Saiba mais aqui.

A prefeitura de Lençóis, na Chapada Diamantina (BA), anunciou que exigirá teste negativo de Covid-19 para quem entrar no município a passeio. Serão aceitos neste primeiro momento os testes rápidos para sorologia IgM e IgG, ainda que eles tenham se provado ineficazes para detectar se uma pessoa está de fato contaminada. Disse a prefeitura de Lençóis em seu Instagram: “Sabemos do índice de falso negativo, mas se evitarmos um só contágio nesse momento já terá valido a pena. Além disso, o teste funcionará como instrumento educativo e de conscientização também para os viajantes.” O Decreto foi publicado no Diário Oficial do município.

Outra cidade baiana que passará a exigir teste negativo para coronavírus é Barra Grande, porta de entrada para a Península de Maraú. Na sexta-feira (21), a prefeitura publicou um Decreto em que torna obrigatória a apresentação de um teste negativo para coronavírus, do tipo RT-PCR ou teste rápido IgM/IgG, realizado até 72 horas antes da chegada.

Atenção aos testes rápidos

Importante lembrar que o teste rápido IgM/IgG que é vendido em muitas farmácias não detecta a Covid-19, apenas indica se a pessoa já teve contato com o vírus e desenvolveu anticorpos. Outra aspecto do teste rápido é que ele só funciona depois de cerca de 12 dias da infecção, ou seja, não acusa a Covid-19 na janela inicial de contaminação. Isso significa que pacientes que tiveram resultado negativo poderão ainda assim estar contaminados e, mesmo assintomáticos, transmitir o vírus para outras pessoas.

O teste RT-PCR

O RT-PCR, também chamado de teste molecular, é o mais preciso para detectar o vírus no corpo humano. Diferentemente dos testes sorológicos, que avaliam o sangue do paciente, o PCR é feito com amostras coletadas do nariz e garganta e é mais indicado para a fase inicial da doença, na primeira semana do aparecimento dos sintomas.

Nas viagens internacionais, o exame negativo deve ser apresentado no check-in do aeroporto e precisa ter sido feito poucos dias antes do voo – os prazos normalmente variam de 96 a 48 horas, dependendo do país de destino (caso a sua viagem aconteça no início da semana, busque um laboratório que abra no sábado).

Veja a seguir onde fazer o teste molecular no Nordeste. Em tempo: desde março, os planos de saúde são obrigados a cobrir o teste PCR, mas sob indicação médica – portanto, se não houver pedido, será preciso pagar. Mesmo que o consumidor desembolse pelo exame, alguns laboratórios exigem o pedido médico.

Recife

Cerpe

Com resultados prontos em até 3 dia úteis, o teste molecular custa R$ 280 e é realizado tanto nas unidades do Cerpe quanto em casa. Precisa de agendamento prévio, virtual ou pelo telefone (81) 3416-9922. Tanto no particular quanto pelo plano de saúde é necessário o pedido médico. Saiba mais no site do laboratório

Genomika

Funcionando apenas pelo drive-thru e pelo valor de R$ 340, o exame PCR fica pronto em até 3 úteis. Requisição médica necessária. Agende aqui

Fortaleza

Argos

Com resultados em até 48 horas, o laboratório cobra R$ 340 pelo teste. A coleta domiciliar também está disponível, porém com uma taxa extra de R$ 120. Pedido médico é obrigatório e o agendamento pode ser feito online. Saiba mais no site do Argos

Labpasteur

Para fazer o PCR no Labpasteur, é preciso desembolsar R$ 387 e esperar de 24 a 48 horas depois da coleta para receber os resultados. O exame precisa de pedido médio (pelo plano de saúde ou no particular) e pode ser feito no laboratório ou na residência do paciente. O agendamento prévio é realizado pelo telefone (81) 3416-9922. Veja mais aqui

X